segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Filme “Quanto vale ou é por quilo?”

Este filme faz uma analogia entre a antiga escravidão como comércio e a atual exploração da miséria pelo marketing social. Apresenta fatos reais sobre muitos episódios que aconteceram, mostrando-nos como hoje, mesmo que a escravidão não exista mais, a exploração de muitas empresas de voluntariado acabam sendo somente uma fachada, querendo passar uma imagem para todos, ao invés de estarem apenas se preocupando em ajudar mesmo quem necessita. As organizações não-governamentais acabam sendo vistas como grandes empresas que aproveitam da miséria para ganhar dinheiro e prestígio, cometendo preconceito e não se importando com o que realmente está acontecendo. Estas empresas querem apenas a ascensão social e mostrar para a população do jeito mais banal e “ensaiado” como eles agem dentro da empresa voluntária. Uma quetão de muita relevância apresentada no filme pelo ator Lázaro Ramos é a seguinte: “O que vale é ter liberdade para consumir, essa é a verdadeira funcionalidade da democracia”, que está no vídeo á seguir:



Agora, eu coloquei um vídeo que mostra uma pequena parte do filme, representando bem o que eu acabei de falar. Esta cena apresenta uma empresa de voluntariado que está fazendo tipo um comercial para mostrar para a população como é o seu trabalho e com quem eles trabalham. Para isso, a tal empresa mandou pegar muitas imagens de negros, para, de algum modo, chocar a população apresentando negros para esta finalidade



Eu recomendo este filme para todos aqueles que quisérem entender mais sobre este tema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário