terça-feira, 24 de julho de 2018

As Evidências da Evolução – Referências da série

Playlist da série: (5 vídeos) 


Evolução , apenas uma teoria????


Playlist da série:

Todas as informações contidas nos 5 episódios da série “As Evidências da Evolução” foram baseadas em dados de livros e artigos científicos, oriundas de fontes que podem ser consultadas pelo público. É bom observar que foi tomado grande cuidado na elaboração do roteiro para tentar manter apenas as evidências suportadas por material teórico. Algumas evidências conhecidas em círculos acadêmicos ou que são comentadas pelo público em geral foram deliberadamente deixadas de fora, seja porque não foi possível encontrar referencial teórico que o embasasse, seja porque as fontes encontradas não atendiam ao critério de confiabilidade adotado na série.
Eis as referências utilizadas:

Livros:
ARAO, T., Perkins E. The nictitating membranes of primates. The Anatomical Record, 2 (1968).

BENTON, M. J.; et al. Introduction to Paleobiology and the Fossil Record. Oxford: Wiley-Blackwell, 2009.

BRUCE, A. Biologia Molecular da Célula. 5ª edição. Porto Alegre: Artmed, 2009.

COX, C. B.; MOORE, P. D. Biogeografia: Uma abordagem ecológica e evolucionária. 7ª edição. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2008.

COYNE, J. Por Que a Evolução é Uma Verdade. São Paulo: JSN Editora, 2014.

DARWIN, C. A Origem das Espécies. São Paulo: Martin Claret, 2014.

DARWIN, C. The Expression of the Emotions in Man and Animals. London: John Murray, 1872.

DAWKINS, R. O Maior Espetáculo da Terra. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

DAWKINS, R. A Grande História da Evolução: Na Trilha dos Nossos Ancestrais. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

DOWNEY, G. Becoming human: How Evolution Made Us. New South Wales: Enculture Press, 2013.

GRIFFITHS, A. J. F.; et al. Introdução à Genética. 10ª edição. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2013.

LOMOLINO, M. V.; et al. Biogeography. 5th Edition. Sunderland: Sinauer Associates, 2016.

MEYER, D. ; EL-HANI, C. N. Evolução: O Sentido da Biologia. São Paulo: Editora UNESP, 2005.

PROTHERO, D. R. Evolution: What the Fossils Say and Why It Matters. New York: Columbia University Press, 2007.

OWEN, R. On The Anatomy of Vertebrates. London: Longmans, Green, And Co., 1866

RAVEN, P. H.; et al. Biologia Vegetal. 8ª edição. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2014.

RIDLEY, M. Evolução. 3ª edição. Porto Alegre: Artmed, 2006.

SCHMIDT-NIELSEN, K. Fisiologia Animal : Adaptação e Meio Ambiente. 5ª edição. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2002.


Artigos:
ALEXANDRINO, J; et al. Strong selection against hybrids at a hybrid zone in the Ensatina ring species complex and its evolutionary implications. Evolution, 59: 1334-47 (2005). 

ARDITTI, J; et al. ‘Good Heavens what insect can suck it’ – Charles Darwin, Angraecum sesquipedale and Xanthopan morganii praedicta. Botanical Journal of the Linnean Society, Vol. 169, Issue 3: 403–432 (2012).

BLAISE, S; et al. Genomewide screening for fusogenic human endogenous retrovirus envelopes identifies syncytin 2, a gene conserved on primate evolution. PNAS, vol. 100, Nº. 22: 13013–13018 (2003).

COOK, L. M. Changing views  on  melanic  moths. Biological Jornal  of  Linnean  Society, 69:  431-441 (2000).

DENHAM, T.P.; et al. Origins of Agriculture at Kuk Swamp in the Highlands of New Guinea. Science, Vol. 301, Issue 5630: 189-193 (2003).

HALL, B. G. Adaptive evolution that requires multiple spontaneous mutations. I. Mutations involving an insertion sequence. Genetics, vol. 120, nº 4: 887-897 (1988)

HEBERT, P. D. N; et al. Barcoding animal life: cytochrome c oxidase subunit 1 divergences among closely related species. The Royal Society Publishing, 270 (2003).

HOLLAND, P. H. W. Homeobox genes in vertebrate evolution. BioEssays, 14: 267-272 (1992).

HOLLAND, P. H. W. Vertebrate evolution: something fishy about Hox genes. Current Biology, 7: 570-572 (1997).

JACHMANN, H.; et al. Tusklessness  in  African  elephants:  a  future  trend.  African Journal of Ecology, Vol. 33, Nº. 3 : 230-235 (1995).

KIRCHNER, J. A. The vertebrate larynx: Adaptations and aberrations. The Laryngoscope, Vol. 103, Issue 10: 1197-1201 (1993).

LAMICHHANEY, S.; et al. Evolution of Darwin’s finches and theirbeaks revealed by genome sequencing. Nature, 518. (2015).

LAMICHHANEY, S.; et al. Rapid hybrid speciation in Darwin’s finches. Science, 359 (2017).

LENSKI, R.; TRAVISANO, M. Dynamics of adaptation and diversification: a 10,000-generation experiment with bacterial populations. PNAS, 91: 6808-14 (1994).

RAINEY, P.  B.; TRAVISANO, M. Adaptive radiation in a heterogeneous environment. Nature, 394: 69–72 (1998).

ROZKOVCOVÁ E.; et al. Studies on agenesis of third molars amongst populations of different origin. Sbornik Lekarsky, 100 (1999).

SCHLUTER, D. et al. Ecological Character Displacement in Darwin’s Finches. Science, 227: 1056-1059 (1985).

STIBBE, E. P. A Comparative Study of the Nictitating Membrane of Birds and Mammals. Journal of Anatomy,; 62: 159–176 (1928).

THEWISSEN, J; et al. From Land To Water: The Origin of Whales, Dolphins, and Porpoises. Evolution: Education and Outreach, 2: 272-88, 2009.

WALLACE, A. R. Creation by law. Quarterly Journal of Science, 4: 470–488 (1867).

Nenhum comentário:

Postar um comentário